Como conquistar as principais certificações ambientais para Construtoras
Construção Civil

Como conquistar as principais certificações ambientais para Construtoras

Certificações ambientais para construtoras têm sido uma tendência que veio para ficar. Além de melhorar a qualidade da construção em si, a empresa que adota os princípios de “construções sustentáveis” em seu empreendimento diminui os custos enormemente.

Existem vários tipos de certificações para a construção civil. O Brasil, aliás, é o 4º colocado mundial no ranking de países com maior número de projetos com o selo Leed.

Veja no post a seguir quais são as principais certificações ambientais para construtoras, o que fazer para iniciar sua certificação e quais os benefícios dos selos de sustentabilidade.

Como conquistar as principais certificações ambientais para Construtoras

Quais são as principais certificações ambientais para construtoras?

Os selos Leed e Procel Edificações são as certificações mais comuns para construções sustentáveis no Brasil. Existem, também, o selo Casa Azul, da Caixa Econômica Federal e o FSC, que certifica a cadeia produtiva da madeira.

A Fundação Vanzolini, vinculada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), criou uma certificação específica para materiais utilizados nas infraestruturas da construção civil, o RGMat e a certificação Aqua.

O selo Leed é o mais completo e leva em consideração diversos aspectos da construção, inclusive ambiental e social. Esta certificação tem vários níveis, de acordo com as possibilidades da construção: Certified, Silver, Gold e Platinum.

O selo Procel Edificações foca principalmente na eficiência energética, enquanto o selo Casa Azul abrange a construção inteira, dando especial ênfase ao aspecto socioambiental. O FSC (Forest Stewarship Council) visa promover o manejo florestal sustentável. Dessa forma, produtos oriundos da floresta, especialmente madeira, podem receber esse selo.

Por fim o RGMat e o Aqua são certificações ambientais para construtoras que têm o intuito de melhorar os processos desde a fase do pré-projeto. A certificação Aqua cria um perfil de Qualidade Ambiental do Edifício (QAE), focando no Sistema de Gestão do Empreendimento (SGE).

Já o RGMat é focado nos fabricantes de materiais de construção. O intuito da certificação é que os fabricantes demonstrem o desempenho ambiental dos produtos. Com isso, trazem transparência ao processo construtivo, auxiliando varejistas, consumidores empreendedores e projetistas na escolha dos produtos com melhor desempenho.

Qual é o passo a passo para obter as certificações?

O procedimento para a obtenção das certificações ambientais para construtoras depende do selo escolhido. Cada certificadora tem seu próprio protocolo de concessão do selo, bem como critérios para o monitoramento após a certificação.

De maneira geral, no entanto, o primeiro passo no processo de certificação ambiental é o contato da empresa interessada com a certificadora escolhida, que irá orientar o cliente a respeito das próximas etapas.

O passo seguinte é a avaliação da construção pela certificadora e das possibilidades de certificação, que será adequada tanto à etapa do projeto quanto ao tipo de construção ou elo da cadeia produtiva.

O uso de produtos ecológicos e sustentáveis é sempre levado em consideração, seja na etapa de construção ou de produção.

Os critérios serão diferentes de acordo com o tipo de serviço a ser desempenhado pela construção. Dessa forma, o certificado para uma indústria produtora de materiais de construção será diferente de um hotel já construído, por exemplo.

Após esse diagnóstico, o terceiro passo é a hierarquização da construção de acordo com critérios de “conformidade” ou “não conformidade”. É feita uma classificação para então ser fornecida a certificação.

Ressalta-se que cada processo é diferente conforme o caso. Verifique junto às certificadoras qual o protocolo para a obtenção da certificação no caso de sua construtora.

Como conquistar as principais certificações ambientais para Construtoras

Certificar vale mesmo a pena?

A indústria da construção civil é uma das mais impactantes ambientalmente. Diante disso, o setor vem buscando melhorar suas práticas de gestão ambiental, não apenas por uma questão de sustentabilidade, mas econômica.

Estima-se que o mercado de construções sustentáveis no país tenham movimentado R$ 13,6 bilhões em 2015. Por outro lado, as mudanças de paradigma tais como a grande disponibilidade de informações pela internet e o aumento da consciência ambiental têm contribuído para alterações na dinâmica do mercado.

Em outras palavras, hoje o consumidor é capaz de avaliar se uma empresa é ambientalmente correta ou não buscando informações na internet ou por meio de redes sociais. Além disso, o cenário de crise para a construção civil dos últimos 5 anos significou que uma gestão dos recursos mais criteriosa e sustentável.

Ou seja, a gestão ambiental tem se mostrado cada vez mais aliada da gestão financeira. Isto porque a sustentabilidade baseia-se no uso racional dos recursos, evitando desperdícios e, com isso, cortando custos em vários âmbitos da construção civil.

Para o SEBRAE, agregar serviços à entrega da obra e construções sustentáveis são tendências que vieram para ficar. Ainda que o mercado venha a se estabilizar, a maior aproximação das empresas com os clientes já é um diferencial de mercado.

De modo semelhante, as construções sustentáveis não apenas melhoram as relações da empresa com o ambiente: são financeiramente mais interessantes.

Para a obtenção do selo Procel, por exemplo, a empresa precisou adequar seus processos internos às boas práticas de eficiência energética. Com isso, um dos principais custos com insumos no Brasil foi cortado: energia elétrica.

Isso contribui enormemente com a competitividade da empresa no mercado, já que as tarifas de eletricidade tendem a aumentar cada vez mais. Selos como o Casa Azul ajudam a reduzir os custos com água, ao requererem, por exemplo, a adoção de sistemas de captação da água da chuva e reuso da água.

Conforme o SEBRAE, a economia de água em construções sustentáveis pode chegar a 50% enquanto a de energia pode atingir a faixa dos 30%. De modo semelhante, os custos operacionais na obra podem ser cortados entre 8 a 9%. Muito interessante, não é mesmo?

Dessa forma, para conquistar as principais certificações ambientais para construtoras, o primeiro passo é o contato com a certificadora para que esta possa definir qual o melhor protocolo em cada caso. As construções sustentáveis vieram para ficar, ajudando a minimizar o impacto da construção civil no ambiente ao mesmo tempo que reduzem custos em vários setores do processo produtivo.

Você conhece algum exemplo de construção certificada? Compartilhe conosco aqui comentários! Agradecemos sua confiança.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *