Como o estabilizante de solo aumenta a durabilidade das estradas
Pavimentação

Como o estabilizante de solo aumenta a durabilidade das estradas

A água é a maior causa de deslizamentos de terra em taludes construídos. Por esse motivo, são utilizadas técnicas para a remoção da umidade do interior dos solos, tais como a drenagem e o uso de estabilizante de solo.

Esse tipo de estratégia é adotado especialmente no caso de estradas, em que a construção de taludes e a terraplenagem, procedimentos indispensáveis a esse tipo de obra, afetam a capacidade estrutural do solo. Este, por sua vez, é caracterizado pela presença de água, o que influencia enormemente na estabilidade do solo e da obra.

Diante disso, a impermeabilização do solo é indispensável para o sucesso da construção de obras como aterros sanitários, aeroportos e estradas. Veja no post a seguir como produtos inovadores ajudam a estabilizar e impermeabilizar solos e, ainda, reduzir os custos da obra.

Como o estabilizante de solo aumenta a durabilidade das estradas

O que é o estabilizante de solo

O estabilizante de solo faz parte de um processo de correção do solo nativo de modo a melhorar suas propriedades mecânicas para receber alguma construção. Qualquer obra, seja ela uma estrada, um aterro ou um aeroporto, requer o preparo adequado do terreno.

Isto porque, a exemplo das estradas, a pavimentação é uma estrutura de várias camadas (aterro, subleito, reforço de subleito, sub-base e base), construídas a partir da superfície terraplenada e arranjada de modo a resistir aos esforços a que será submetida – o peso da própria estrada e dos veículos que circularão sobre ela, principalmente.

Assim, o solo constitui a sub-base das construções. Para ser passível de utilização em construções, é necessário que o solo seja caracterizado. Com essas informações, é possível conhecer suas propriedades físicas e mecânicas, além de compreender seu comportamento.

No que tange estabilidade, alguns dos principais fatores são a porosidade e a composição granulométrica do solo. Porém, é comum que os solos naturais não tenham as propriedades físicas e mecânicas adequadas à obra que se pretende construir. Diante disso, é necessária sua correção, processo também conhecido por estabilização do solo.

Essa atividade é a execução de um processo mecânico e/ou químico que melhore as propriedades do solo em termos de capacidade de suporte de cargas e ação climática. É possível adotar os procedimentos de forma combinada ou individual, dependendo da viabilidade técnica e econômica. Os principais métodos de estabilização do solo são:

  • compactação;
  • correção granulométrica;
  • adição de estabilizantes químicos.

No caso do estabilizante de solo químico, acrescentam-se os chamados aditivos estabilizantes. Ao ser submetido a um processo de estabilização química, o solo tem sua estrutura alterada. Com isso, terá maior resistência mecânica, menor permeabilidade e compressibilidade reduzida em comparação com o solo natural.

A adição de estabilizador de solo ao terreno natural desencadeia reações químicas que preenchem os poros, melhoram as características de umidade e promovem a compactação do solo. Com isso, ocorrem melhorias nas propriedades do solo para fins de construções e obras.

Os tipos mais comuns de estabilizadores químicos são:

  • produtos industrializados
  • escória de siderurgia
  • cimento Portland
  • pozolana
  • betumes
  • cal

Como o estabilizante de solo aumenta a durabilidade das estradas

Com funciona um estabilizante de solo

O estabilizante de solo atua sobre as partículas finas do terreno, o que melhora sua capacidade de suporte ao reduzir sua expansão e sucção por causa da presença de água no solo. Este aditivo não requer o uso de materiais drenantes como britas ou outros agregados utilizados em processos de pavimentação.

O produto é aspergido sobre a área já terraplenada onde será construída a estrada e permanece sem ser mexido pelo período chamado de curagem do estabilizante. A camada seca de estabilizante de solo é dura e impermeável, além de reduzir a formação de lama em dias de chuva e a poeira em dias secos, por agregar as partículas finas de terra.

No caso de estradas rurais e florestais, esse estrato superior pode ser suficiente, dependendo do projeto. Para estradas com asfalto, o aditivo estabilizante de solo atua como um melhorador da capacidade de suporte, sendo por isso recomendado para as etapas de preparação de base e sub-base de rodovias de tráfego intenso.

O estabilizante de solo pode ser aplicado na preparação do solo em outras obras, tais como ferrovias, loteamentos, avenidas, aeroportos, aterros, entre outros.

Pode ser encontrado na forma de pó ou na forma líquida. Sua aplicação é feita com o uso de caminhão tanque ou caminhão pipa.

Como o estabilizante de solo ajuda a reduzir custos na obra

Em qualquer obra construída sobre a terra, presença de água no solo é problemática. Por esse motivo, será necessária a remoção de água do terreno para que a estabilidade do solo e da futura construção não seja comprometida. Uma das formas mais típicas de remoção de excesso de água é a drenagem. Porém, esse processo pode ser caro.

O uso do estabilizante de solo significa redução nos custos de transporte. Isto é, mesmo que haja necessidade de aporte de volumes de terra para a realização de terraplenagem, a aplicação local do estabilizante de solo permite que sejam utilizados solos locais, eliminando a necessidade de importação de substrato.

Tipicamente, a aplicação deste produto não requer maquinários especiais, podendo ser aplicado com o mesmo material já utilizado para a construção da estrada ou da obra. Por sua facilidade de aplicação, requer menos mão de obra.

Solos tratados com estabilizante de solo se tornam mais estáveis. Com isso, os custos de conservação de estradas pavimentadas reduzem, além de diminuir o custo com manutenção das redes de drenagem (limpeza de drenos, por exemplo).

Também, o uso de estabilizante de solo no preparo da base e sub-base substitui a necessidade do uso de agentes drenantes. Alguns produtos podem substituir até 76 caminhões de pedra ou cascalho, reduzindo o custo de transporte e com materiais.

Portanto, o estabilizante de solo aumenta a durabilidade das estradas porque é capaz de agir com um substituto para agentes drenantes que precisam ser aplicados na base e sub-base da obra.

Por outro lado, a escolha do tipo de estabilização depende do custo, objetivos da obra e das características dos materiais e propriedades do solo a serem melhoradas. Quer mais dicas sobre esse assunto? Então leia nosso artigo sobre as 5 etapas para a pavimentação de uma via. Agradecemos sua confiança!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *