Produtos para proteção das mãos que trabalham
Indústria

Produtos para proteção das mãos que trabalham

A proteção das mãos dos trabalhadores industriais é essencial. Isto porque grande parte das doenças ocupacionais, em sua maioria, afetam as mãos. A ocorrência se deve principalmente ao contato por agentes irritantes.

Para evitar o enorme desconforto causado pelas doenças ocupacionais ocupacionais que acometem os trabalhadores, é indispensável o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Dependendo da gravidade, as doenças podem ocasionar incapacitações, se não forem tratadas a tempo.

No entanto, a melhor forma de lidar com o problema é a prevenção. Veja no post a seguir alguns produtos que podem ser utilizados para a proteção das mãos no trabalho industrial.

Conforme a Norma Reguladora nº 6 do Ministério do Trabalho (NR 6), os EPIs para a proteção dos membros superiores são divididos em:

  • F.1 – Luvas
  • F.2 – Creme protetor
  • F.3 – Manga
  • F.4 – Braçadeira
  • F.5 – Dedeira

Para a indústria química e metalúrgica, são requeridos, no mínimo F.1. f) luvas para proteção das mãos contra agentes químicos e F. 2. a) creme protetor de segurança para proteção dos membros superiores contra agentes químicos. Dependendo da situação – uso de F.3. f) manga para proteção do braço e do antebraço contra agentes químicos pode ser requerido.

É importante consultar o Ministério do Trabalho e as demais NRs para cada situação. No caso de operações insalubres, por exemplo, a NR 15 reitera a necessidade do uso de luvas em acréscimo a outros EPIs específicos.

Produtos para proteção das mãos que trabalham

Como prevenir dermatites nas mãos

Para evitar que as dermatites prejudiquem a qualidade de vida e a produtividade dos funcionários da indústria, é muito importante adotar boas práticas de trabalho. Além do uso de luvas adequadas às atividades, é importante também:

  • evitar o uso prolongado das luvas, utilizando-as somente quando a ação potencialmente irritante for realizada. A razão disso é que grande parte da incidência de dermatites ocorre porque os funcionários não tiram as luvas durante a jornada de trabalho;
  • secar as mãos cuidadosamente após a lavagem; é comum que a presença de água ocasione reações químicas com o material das luvas, o que pode causar dermatites;
  • retirar as luvas corretamente, para evitar o contato da pele com o agente irritante depositado sobre a luva no momento da retirada;
  • acompanhar e diagnosticar dermatites conforme Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) da empresa;
  • hidratar as mãos frequentemente, para evitar ressecamentos e urticárias.

O empregador deve fornecer luvas em diversos tamanhos e disponibilizar quantidades suficientes para as trocas periódicas dos EPIs. Esse prazo é determinado pelas NRs.

Luvas para a proteção das mãos na indústria

A maior parte das lesões por acidente de trabalho e por doenças do trabalho, tais como as dermatites, ocorre nas mãos. A função das luvas é a proteção das mãos contra agentes químicos e agentes abrasivos e escoriantes, principalmente. Porém, o tipo de proteção deve ser escolhido conforme o caso.

Atualmente, há uma grande quantidade de tipos de luvas para a proteção das mãos. As principais diferenças estão no material de que são feitas e suas funções. Veja a seguir as que são mais indicadas para o uso na indústria química:

  • PVC (cloreto de polivinila ou vinil): usadas principalmente na indústria petroquímica. Resistem bem a agentes oxidantes diluídos (ácidos nítrico, cromo, clorídrico e fosfórico) e resistem bem à degradação pelo tempo. Não se deve utilizá-las em caso de manipulação de solventes aromáticos ou clorados, éteres, cetonas, ou acetonas.
  • Neoprene: são recomendadas para a manipulação de produtos químicos perigosos, tais como tintas, ácidos, álcoois e óleos. É recomendado em situações que requeiram de boa sensibilidade e aderência. Não devem ser usadas para ácidos nítricos ou crômicos concentrados e outros agentes oxidantes inorgânicos.
  • Butilo: esse tipo de luva é usado especialmente no caso de trabalho com gases como cianetos de hidrogênio ou gases de cloro, por ser pouco permeável a gases. O fator limitante a seu uso é o custo de produção (é caro).
  • Nitrilo: tem boa resistência a materiais como gasolina, querosene e outros solventes de petróleo. Não são recomendadas para uso com cetonas, ácidos oxidantes fortes e produtos químicos orgânicos de nitrogênio.
  • PVA (álcool polivinílico): utilizadas principalmente no caso de manipulação de produtos clorados ou aromáticos. São solúveis em água.
  • Viton: esse material é o mais eficaz na proteção contra agentes químicos, mas também o mais caro. Altamente resistente a calor e a hidrocarbonetos aromáticos, tais como benzeno, tolueno e xileno.

Produtos para proteção das mãos que trabalham

Cremes de proteção das mãos

Ainda que as luvas ajudem muito a evitar a ocorrência de dermatites, dependendo de sua composição, elas mesmas podem causar alergias. Diante disso, o Ministério do Trabalho tornou o fornecimento de cremes protetores para mãos obrigatório para trabalhadores que manipulam produtos químicos insalubres e que tenham alergia a materiais como o látex, PVC, borracha e outros materiais alergênicos.

A Portaria nº 26 de 29 de dezembro de 1994 do Ministério do Trabalho regulamenta o uso dos cremes protetores como EPIs, incluindo-as na NR 6. Conforme a regulamentação, os cremes protetores são divididos em três grupos:

  1. a) Grupo 1 – Água-resistente – são aqueles que, quando aplicados à pele do usuário, não facilmente removíveis com água.
  2. b) Grupo 2 – óleo-resistente – são aqueles que, quando aplicados à pele do usuário, não são facilmente removíveis na presença de óleos ou substâncias apolares.
  3. c) Grupo 3 – Cremes especiais – são aqueles com indicações e usos definidos e bem especificados pelo fabricante.

Em outras palavras, os cremes de proteção criam barreiras químicas sobre a pele, de tal forma que substâncias irritantes não penetrem na epiderme. Para determinar quais cremes de proteção para mãos servem para o que, são feitos testes de solubilidade diante de agentes químicos.

Há várias substâncias irritantes a que os trabalhadores estão expostos diariamente na indústria química, tais como cloreto de metileno, óleo Mineral, óleo diesel, tolueno, acetona, gasolina, nafta e xileno

Portanto, o uso de produtos para a proteção das mãos que trabalham é importantíssimo para a prevenção de doenças laborais, especialmente as dermatoses ocupacionais. O controle das doenças ocupacionais está associado não só às obrigações legais, mas à responsabilidade social da empresa.

 

Quer saber mais sobre a relação entre a segurança do trabalho e a qualidade na indústria? Então leia nosso artigo sobre a importância do certificado ISO 9001. Agradecemos sua visita!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *