Proteção temporária de peças, o que é e quando fazer
industrial

Proteção temporária de peças, o que é e quando fazer

A proteção temporária de peças é uma das estratégias adotadas na manutenção de superfícies oxidadas. A aplicação de produtos protetivos pode ajudar a prolongar a vida útil dos equipamentos e peças metálicas, prevenindo a corrosão. Este fenômeno, aliás, é a principal fonte de perdas materiais e financeiras na indústria.

Estima-se que o custo das perdas ocasionadas pela corrosão na indústria seja de cerca de 2,5 trilhões de dólares por ano. Uma das razões para esse número assustador é a manutenção feita de modo incorreto. Veja no post a seguir o que é a proteção temporária de peças e quando sua aplicação é recomendada.

Proteção temporária de peças, o que é e quando fazer

O que é proteção temporária de peças

De maneira geral, peças metálicas têm uma vida útil previsível de acordo com os fabricantes. No caso de ferramentas, por exemplo, é esperada uma grande longevidade. Para que a vida útil das superfícies metálicas não seja comprometida, é muito importante seguir as recomendações de manutenção dos fabricantes.

Tais indicações variam de acordo com o produto. Porém, a proteção temporária de peças é aquela que pode ser removida da superfície em questão após a absorção da substância protetiva pela superfície a ser protegida. Exemplo disso é a realização de limpeza e aplicação de óleos anticorrosivos periodicamente em ferramentas.

Ela é periódica porque o anticorrosivo deve ser removido após a aplicação. Por causa disso, é considerada um procedimento de proteção de curto prazo. Em contraste, a proteção definitiva consiste na aplicação de revestimentos, tais como tintas ricas em zinco e camadas de epóxi. Ou seja, é uma proteção de longo prazo. Em ambos os casos, a finalidade é a de prolongar a vida útil das ferramentas e equipamentos industriais.

A proteção temporária de peças é o recobrimento da superfície com óleo mineral misturado com inibidores de oxidação e formadores de películas protetoras. São acrescentados à mistura, também, emulsões de revestimento a base de petróleo ou outras substâncias protetivas, como ceras.

Esse procedimento pode ser feito mergulhando-se inteiramente a peça na solução protetiva ou aplicando-se anticorrosivos com pincéis. Neste caso, é importante realizar a limpeza e o preparo adequado da superfície, para que a aderência da substância protetiva à superfície seja eficiente.

Quais são os tipos de proteção temporária

As proteções temporárias mais comuns na indústria são as seguintes?

Fluidos baseados em solvente: camadas protetivas depositadas sobre a superfície por meio da evaporação dos solventes. Podem ter secagem rápida ou lenta e depositar camadas protetivas de filme dura ou suave. O tempo que a camada de proteção resiste varia, podendo ser de alguns dias até mais de um ano. Usualmente, são aplicados por imersão das peças em tanques contendo a substância protetiva. São recomendados para uso em transporte marítimo

Formadores de filmes finos, parecidos com gorduras e sem solventes: são as vaselinas, graxas de óleo mineral, graxas vegetais ou sintéticos e compostos semi-fluidos, usualmente tixotrópicos a controle de fluxo. Muito usados em cabeamentos, fios e correntes. Também servem como lubrificantes e são aplicados ao se besuntar a superfície com a substância

Óleos protetivos, formadores de filmes finos, sem solventes: usados em caixas de marcha, motores, compressores para proteção durante armazenamento ou transporte marítimo. Podem ser aplicados com spray, imersão ou pincel ou, ainda, deposição eletrolítica.

Revestimentos removíveis: esses protetores têm consistência resinosa ou plástica e podem ser removidas manualmente. Comumente, são usadas para proteção de ferramentas durante o armazenamento. Podem ser aplicadas por imersão, spray ou pincel.

Inibidores voláteis de corrosão: são substâncias que seguem emanando vapores anticorrosivos. Usados principalmente no armazenamento. Podem ser de papel, filme de polímero, pós, sachês de pós, tabletes, óleos entre outros.

Inibidores de contato: são principalmente papéis impregnados de substâncias anticorrosivas que impedem a umidade de chegar à superfície a ser protegida.

Protetivos a base de água e protetivos emulsificáveis: são protetivos que costumam ser misturados à água antes de seu uso. São aplicados por imersão, spray ou pincel, e depositam uma camada cerosa ou oleosa depois de secarem. São menos nocivos ao ambiente, por não usarem solventes tóxicos.

Dessecadores e desumidificadores: a corrosão de materiais ferrosos só ocorre na presença de água. Por isso, peças suscetíveis que precisem ser armazenadas podem ser protegidas pelo uso de substâncias dessecadoras, impedindo a condensação da umidade. Recomendado para o uso em galpões de armazenamento fechados e sujeitos a umidade.

Protetivos anticorrosivos multifuncionais: esse tipo de protetivo surgiu com o conhecimento de que contaminações cruzadas podem ocorrer ao longo do processo produtivo. Há diferentes protetores principalmente para a indústria automotiva, protetores de peças usinadas e proteção contra fluidos de lavagem.

Outras formas de proteção de peças incluem atmosfera inerte e barreiras laminares.

Proteção temporária de peças, o que é e quando fazer

Quando fazer a proteção temporária de peças

Recomenda-se a aplicação de proteção temporária – ou de curto prazo – em situações em que a peça ou superfície em questão estará submetida a alguma fonte de oxidação. Essa exposição ocorre principalmente nas etapas de transporte e armazenamento de peças metálicas.

Porém, a proteção temporária de peças é aplicada, também, para a manutenção de periódica de ferramentas, mancais, superfícies metálicas e peças usinadas, para que se garanta o prolongamento da vida útil do equipamento. O tipo de procedimento varia conforme a finalidade, podendo a aplicação de anticorrosivos ser por imersão em substância protetiva, aplicação por spray ou ainda por meio do uso de pincéis.

Superfícies expostas a condições climáticas moderadas durante seu transporte podem ser protegidas com o uso de produtos capazes de formarem películas protetoras semi-secativas (graxosas), cerosas e/ou tixotrópicas finas. Esse tipo de proteção é usado, também, em superfícies armazenadas em locais fechados ou próximos ao mar, como no caso de portos.

Por outro lado, materiais submetidos a condições climáticas adversas, tais como aqueles que ocorrem durante o transporte marítimo ou no armazenamento em ambientes externos sem proteção contra a chuva requerem proteção mais forte.

Peças pequenas tais como ferramentas, rolamento de máquinas ou ao longo da usinagem de materiais podem ser imersos em películas oleosas e/ou semi-secativas (graxosas), dependendo da adversidade climática a que estarão submetidas durante o transporte ou armazenamento.

Assim, a proteção temporária de peças é a aplicação de camadas anticorrosivas que têm curto período de durabilidade. É recomendada principalmente no transporte e armazenamento de peças suscetíveis à oxidação.

 

Quer saber mais sobre como proteger seu equipamento? Então leia nosso artigo sobre como prolongar a vida útil de suas ferramentas industriais e também conheça as linhas de Fluidos Protetivos da Homy Química. Agradecemos sua confiança!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *